Sunday, February 03, 2008

SEXO, DROGAS E MUITO SANGUE.
































Click AQUI para ver algumas fotos das meninas das FARC e do tarado pedófilo, vulgo "Raúl Reyes",
que as seqüestra para satisfazer seus instintos doentios e animalescos.


Revelados os horríveis abusos das FARC a menores
por Gonzalo Guillen

O porta-voz da Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), Luis Édgar Devia Silva, conhecido como Raúl Reyes, mantêm a sua disposição grupos de meninas a partir dos nove anos de idade, seqüestradas por ordens suas em bairros pobres de cidades e povoados com o objetivo de escravizá-las e satisfazer seus desejos sexuais, segundo os testemunhos de dezenas das próprias menores que escaparam do domínio da guerrilha.

Os comoventes testemunhos foram revelados ao jornal "El Nuevo Herald" por fontes militares, assim como pelo Instituto Colombiano do Bem-Estar Familiar, que atende a maioria das vítimas desses abusos que estão documentados em seus arquivos. Todas as fontes pediram para manterem-se anônimas por temerem represálias por parte do grupo guerrilheiro.

Sonia, uma menina que foi seqüestrada no departamento administrativo de Caquetá aos 12 anos para ser entregue a serviço de Devia, por exemplo, contou as autoridades militares que em 16 oportunidades tentou escapar. Mas sempre foi recapturada e presa a uma árvore, onde permanecia a disposição de Devia, participante do secretariado das FARC.

Finalmente, aos 16 anos, Sonia conseguiu fugir de maneira definitiva e hoje permanece sob proteção especial de um programa estatal de recuperação infantil.

Outras meninas que escaparam das FARC e foram capturadas pelas autoridades, também contribuíram com informações sobre grupos de menores confinadas para servir os apetites sexuais de Devia e outros chefes daquela organização.

De acordo com os testemunhos de dezenas de crianças que escaparam das FARC ou foram capturados, aqueles que contraem Aids são eliminados para impedir a propagação da doença.

As garotas que ficarem grávidas apesar dos dispositivos e medicamentos que devem utilizar por ordens superiores, são obrigadas a abortar. Se a gravidez estiver avançada, as jovens são separas até darem a luz e três meses depois do parto voltam às linhas de frente e seus bebês são doados.

Um estudo da Organização Internacional para as Migrações (OIM), sobre as crianças prisioneiros-combatentes, apresentado em uma conferência de imprensa na última sexta-feira em Bogotá, confirma ao menos parcialmente os mencionados testemunhos.

De acordo com a consultora internacional Natalia Springer, que dirigiu a investigação, encontrou casos de meninas recrutadas pela guerrilha que segundo as mesmas, foram atadas a árvores para serem abusadas sexualmente.

O estudo revelou ademais que pelo menos 20 por cento da força básica dos exércitos ilegais da Colômbia, principalmente as FARC, são crianças.

O estudo também estabeleceu que pelo menos 35 por cento dos guerrilheiros adultos de hoje foram incorporados na guerrilha quando eram crianças.

De fato, Víctor Julio Suárez Rojas, o sanguinário Mono Jojoy, chefe militar das FARC, sustenta que entrou para a organização com a idade de 12 anos e, por isso, baseado em sua própria história, justifica o seqüestro de menores para convertê-los em prisioneiros combatentes.

Desde meados de 2007, de acordo com Springer, na Colômbia agravou-se o seqüestro de crianças pobres para convertê-los em bucha de canhão na linha de frente em combate das FARC.

As principais conclusões da investigação da OIM foram apresentadas em uma conferência de imprensa em Bogotá em que ademais participaram a Procuradoria Geral, a Promotoria, a Defensoria Pública e o Comando geral das forças armadas.

O Procurador. Edgardo Maya, informou na conferência de imprensa que em 250 municipios de 18 departamentos administrativos da Colômbia os exércitos guerrilheiros e paramilitares continuam recrutando crianças.

O último cálculo sobre as crianças combatentes na Colômbia feitos pela UNICEF e pelo Instituto do Bem-Estar Familiar: ambas as instituições indicaram que havia entre 10 e 13.000.

Tradução Bootlead



Publicado no jornal "El Nuevo Herald".
Domingo, 03 de fevereiro de 2008.






O PREÇO DA HONRA – Cel Erildo Lemos

A armadilha do Fox – Flavio Machado (Revista ÉPOCA)

No comments:

Share
 
Copyright © 2004-2016 Bootlead