Tuesday, February 19, 2008

Lula e Edir são "irmãos", filhos sacrílegos de Belial.










































Lula defende ações da Universal contra jornais
por Maiá Menezes

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva demonstrou ontem solidariedade à Igreja Universal do Reino de Deus, que ingressou com ações judiciais simultâneas contra o jornal "Folha de S.Paulo", além de ações contra o "Extra" e a Agência A Tarde, da Bahia. Diferentemente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), que considerou as medidas uma ameaça à liberdade de expressão, o presidente achou legítima a atitude da Universal. Perguntado se concorda com a posição da ABI, o presidente foi taxativo:

"Não, até porque, se a Igreja Universal utilizou o Poder Judiciário, ela está utilizando um dos pilares da democracia para questionar o jornal."

Diante do argumento de que as ações foram feitas em conjunto, com textos praticamente idênticos, por fiéis da Universal de 20 estados brasileiros, o presidente manteve a posição:

"A liberdade de imprensa pressupõe isso. A liberdade de imprensa pressupõe a imprensa escrever o que quiser, mas pressupõe também que a pessoa se sinta atingida e vá à Justiça para provar a sua inocência. Não pode ter liberdade de imprensa se apenas um lado achar que está certo. Então, liberdade de imprensa pressupõe uma mistura de liberdade e responsabilidade. As pessoas escrevem o que querem, depois ouvem o que não querem. Essa é a liberdade de imprensa que queremos". Disse Lula, em viagem a Vitória.

Publicado no jornal "O Globo".
Quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008;



Dessa vez Lula não foi bobo. Foi leviano
por Ricardo Noblat

Há ocasiões em que Lula se limita a dizer bobagens. Do tipo: "Quando minha mãe nasceu era analfabeta". Ou "o sistema de Saúde do Brasil é quase perfeito". Tudo bem. Estamos acostumados.

Mas não foi uma bobagem o que ele disse hoje ao comentar as dezenas de ações impetradas na Justiça por fiéis da Igreja Universal contra o jornal Folha de S. Paulo e a jornalista Elvira Lobato.

Lula disse:

- "A liberdade de imprensa pressupõe isso. Se escreve o que quer e se ouve o que não quer."

Dessa vez Lula não foi bobo. Foi leviano.

A Folha de S. Paulo publicou reportagem de Elvira Lobato sobre o império empresarial construído pelo bispo Edir Macedo, dono da Igreja Universal. Macedo se sentiu ofendido. E o que fez? Acionou seus auxiliares, que por sua vez acionaram fiéis da igreja em duas dezenas de Estados.

De uma ponta à outra do país, valendo-se dos mesmos argumentos e muitas vezes das mesmas expressões, dezenas de fiéis entraram na Justiça contra o jornal e a jornalista se dizendo ofendidos pela reportagem. E pedindo indenizações.

O jornal está empenhado em tentar reunir todas as ações em um único fórum para poder se defender delas. Ainda não conseguiu. Por ora, despacha a repórter e advogados para audiências marcadas do Acre ao Rio Grande do Sul. Se perde uma das audiências, arrisca-se a perder a causa.

No caso, não se trata de uma instituição, pessoa ou grupo de pessoas que processa um jornal e uma jornalista por alguma ofensa de que foi vítima. É clara a tentativa da Igreja Universal de intimidar o jornal, a jornalista e quem mais ouse escrever ou publicar o que possa desagradá-la.

Só não vê isso quem não quer ver.

Lula não quer ver. Por que é cego, desinformado? Não. Por que é bobo? Também não. Porque a liberdade de imprensa é um valor que ele só costuma exaltar da boca para fora, e em discursos e solenidades oficiais. Lula não gosta de notícia, como admitiu certa vez. Gosta de publicidade.


Ricardo Noblat, nasceu em 1949 na cidade de Recife-PE, formado em jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco, trabalhou como repórter dos jornais "Diário de Pernambuco" e "Jornal do Commercio", além das sucursais do "Jornal do Brasil" e revista "VEJA", também foi repórter e chefe da extinta revista "Manchete" no Recife. Chefiou a sucursal da revista "VEJA" em Salvador-BA, por dois anos, revista esta, onde depois foi editor-assistente em Sâo Paulo-SP. Trabalhou ainda em Brasília-DF, como editor regional da sucursal do "Jornal do Brasil" e repórter na também sucursal do jornal "O Globo", de onde saiu para chefiar a sucursal da revista "IstoÉ" e posteriormente a direção de redação do jornal "Correio Braziliense". De volta a Salvador-BA, chefiou a redação do jornal "A Tarde" por quase um ano. Ainda teve uma passagem pelo jornal "O Estado de S. Paulo", onde além de uma coluna aos domingos, manteve um blog. Atualmente Ricardo Noblat mantém o "Blog do Noblat" e publica uma coluna às segundas-feiras no jornal "O Globo". Noblat também é autor de vários livros na área de Jornalismo.

N.R. Além de política e atualidades o Blog do Noblat também é ótimo para quem gosta da boa música.


Publicado no Blog do Noblat.
Terça-feira, 19 de fevereiro de 2008, 19h39.



OS ESPECTROS DO MAL
O tempo é chegado,
Pois que Belial é implacável,
Tempo para a consumação dos Tempos,
No caos da luxúria.
O tempo é chegado,
Pois que Belial está no vosso sangue,
Tempo para o nascimento em vós
Dos Outros, dos Estranhos,
Da Sarna, da Impingem
Do túmido Verme.
O tempo é chegado,
Pois que Belial vos odeia
Tempo para a morte da Alma,
Para que o Ser pereça,
Condenado pelo desejo,
E o prazer é o algoz;
Tempo para o triunfo
Total do Inimigo,
Para a dominação do Babuíno,
Para que monstros sejam gerados.
Não a vossa vontade, mas a Sua,
Para que sejais lançados à perdição eterna.






Um Governo Surrealista – Cel Av Luís Mauro

Reflexão II – Cel Aluisio Madruga

No comments:

Share
 
Copyright © 2004-2016 Bootlead