Friday, December 05, 2008

Uh, lá, lá, Lula no se vá!

Foto: O cafajeste que irá "sífu" bem mais cedo do que ele possa imaginar.































SEM QUERER QUERENDO, CHÁVEZ ENTREGA O OURO
por Bootlead

O vídeo abaixo deste texto contém uma síntese da entrevista do putrefato ditador Hugo Chávez da "bolivariana" Venezuela, concedida a correspondentes estrangeiros em Caracas no dia 24 de novembro último, ou seja, um dia após as eleições regionais para governadores e prefeitos realizadas naquele país, onde o "enrustido" tomou uma "surra" por parte do eleitorado mais esclarecido e que realmente conta na Venezuela.

Tal entrevista durou nada menos do que quatro longas e intermináveis horas de disparates e mentiras proferidas pelo indecoroso e anti-higiênico Chávez, porém quando perguntado pela correspondente da rede de televisão norte-americana CNN, a jornalista Patricia Janiot, se ele, Chávez, faria nova tentativa de aprovação de emenda constitucional sobre a sua reeleição indefinidamente, o chulo déspota além de evasivo e ofensivo na resposta à jornalista, que se prolongou por quase trinta minutos, deu-se ao desplante de intrometer-se em assuntos que só interessam a nós brasileiros e, isto em cadeia de rádio e televisão venezuelana e na presença de dezenas de correspondentes da mídia internacional.

Porém, como pode ser visto no vídeo, na altura de mais ou menos quatro minutos decorridos, o burlesco personagem, nos dá uma pista de quais são as intenções do seu parceiro brasileiro, o reles cachaceiro de Garanhuns, no que diz respeito ao tema reeleição presidencial no Brasil. Ou seja, conforme planejado pelo chefe máximo do Foro de São Paulo, o morto-vivo Fidel Castro, essa turma composta pelo próprio Cháves, Evo Morales, Rafael Correa, o tal "bispo" Fernando Lugo do Paraguai, a famiglia mafiosa-peronista dos Kirchner da vizinha república platense e, claro o nosso vagabundo-mor, o execrável Luiz Inácio, não irão largar o poder tão facilmente, eles vieram para ficar e vão fazer qualquer coisa para atingir seus objetivos.

Note-se, que até agora os citados "cachorros loucos", têm usado a democracia para atingir seus objetivos indizíveis, mesmo que as custas de fraudes eleitorais de todos os tipos e formas (principalmente através de urnas eletrônicas), compra de votos e consciências dos "homens-massa", intimidações, propaganda enganosa e subliminar, aliciamento midiático, etc. Contudo, agora que a tal crise econômica mundial começa a se propagar e instalar-se ruinosamente nos países nos quais os aprendizes de "tiranetes" nadavam às braçadas, o pânico está estabelecido. Como tal fator, "crise", escapa completamente aos seus controles e poderão levar por água abaixo seus planos de perpetuação no poder, os "moleques-do-fidel", terão que acelerar seus planos diabólicos (PAC-Plano de Aceleração Comunista), para impor suas ditaduras e, portanto como última tentativa "pacífica e democrática", tentarão já no ano que vem fazer passar, via emenda constitucional, reforma constitucional, ou até via uma assembléia constituinte exclusiva (caso brasileiro), a reeleição presidencial por prazo indeterminado. Lembrem-se: A Venezuela é o laboratório, o projeto piloto de um plano de comunização de toda a América Latina, um antigo "sonho" arquitetado pelo "lúcifer da ilha", primeiro testam a adoção de medidas ditatoriais na Venezuela, depois as impõem aos países satélites dependentes do petróleo e do dinheiro do tirano de Miraflores, e por fim em nosso país. Desta feita, não será diferente vão tentar reproduzir aqui o que o piloto de provas venezuelano fará por lá, pois o "sonho" do "lúcifer da ilha", não será realizado sem o Brasil.

Assim sendo, invoco os cidadãos brasileiros (eu disse "cidadãos", não estou referindo-me ao tal "povo", aquela cambada disforme de analfabetos funcionais, bolsistas, petistas, comunistas, emessetistas, cutistas e todos estes "istas" que o demônio "caga" diariamente nas esquinas e grotões deste país chamado Brasil), para que fiquem atentos aos sinais que começarão a pipocar aqui e ali, já a partir de janeiro próximo, via impren$a vendida, deputado$ da "ba$e alienada", empre$ário$ de $uce$$o e outro$ meno$ cotado$, para que seja dada a partida ao "Uh, lá, lá, Lula no se vá!".

Atenção: Essa será a última e desesperada tentativa da "canalha comunista" de impor sua ditadura vermelha sem sangue, o que não é habitual por parte daquela raça maldita, caso não obtenham êxito nos seus intentos, partirão sem hesitar para o confronto e a violência, enfim, será instalado o caos inerente a uma guerra civil fratricida, feroz, cruel e sangrenta. É só uma questão de tempo e, como repetia o ex-presidente Collor sensatamente: "O tempo é o senhor da razão!".

Ops! Alguém aí perguntou pelos militares? Respondo: Vão bem obrigado, cumprindo seus deveres constitucionais e ansiosos para receber brevemente com toda a pompa, galhardia e rapapé possíveis, o venerado primeiro-irmão do "lúcifer da ilha", o assassino atroz Raúl Castro, também este, outro "enrustido", conhecido nos antros da pederastia de La Habana como "Raulzito" ou "La China", na dúvida perguntem a Juana de la Caridad (Juanita) Castro Ruz, irmã dos demônios cubanos. Antes porém, no dia oito deste mes, a alta cúpula (atenção eu disse cúpula) das nossas pundonorosas forças participarão do grande almoço festivo anual com o chefete, que nessas ocasiões costuma tratá-los por "bando". O "prato de resistência" deste ano será "Sapos à Moda Petista", iguaria esta, muito apreciada pelos comensais, já que estão habituados a engoli-los com regularidade.





Click na SETA ou no botão PLAY, para ativar o vídeo.


Uh, ah, Chávez no se vá
editorial do jornal O Estado de S. Paulo

O caudilho Hugo Chávez não se emenda. Durante a campanha para as eleições regionais de novembro, ele ameaçou deixar à míngua de recursos os Estados e municípios que elegessem candidatos oposicionistas. A estes ameaçou de prisão, simplesmente porque a perspectiva de sua vitória eleitoral colocava em risco o projeto do "socialismo do século 21". Temendo que isso não bastasse para intimidar os candidatos e influenciar o eleitorado, mais de uma vez anunciou que mandaria tanques e blindados para esmagar os "traidores". Na véspera do pleito, advertiu que, se perdesse o controle dos Estados e municípios mais populosos, 2009 seria "um ano de guerra" com seus oponentes. Os novos governadores e prefeitos imediatamente depois de eleitos se ofereceram para trabalhar em conjunto com o governo federal para superar os problemas econômicos e sociais do país.

Mas Hugo Chávez declarou guerra aos novos governantes, alegando que os "fascistas" não têm outro plano para governar, além do de derrubá-lo com a ajuda do "império" e do "paramilitarismo colombiano". E conclamou seus partidários a "varrer do mapa" os oposicionistas. Também ordenou às Forças Armadas que se preparem para eventualmente "neutralizar" as forças policiais dos governos de oposição - cujos chefes, lembrou o ministro da Justiça, só podem ser nomeados após a aprovação do governo central, como manda a "lei habilitante" aprovada em outubro. Invocando outra "lei habilitante", Chávez retirou do governador distrital de Caracas - da oposição - a competência para administrar escolas, hospitais e outras instalações metropolitanas.

Concluída a manobra de intimidação dos oposicionistas que conquistaram nas urnas os governos das cidades e regiões mais ricas e populosas do país, o coronel golpista passou a tratar do que realmente lhe interessa. Mandou o seu Partido Socialista Unificado da Venezuela preparar, imediatamente, um projeto de emenda constitucional que permita sua reeleição indefinida. O projeto deve estar pronto em janeiro, para ser votado em referendo em fevereiro.

"Não quero passar 2009 discutindo se Chávez é um tirano, se não é um tirano, se é meio tirano, se é isso ou aquilo. Uma jornada longa, não", esclareceu o caudilho. E anunciou que o lema dessa "batalha" será Uh, ah, Chávez no se vá, convocando para a luta os "batalhões" e "patrulhas" das milícias bolivarianas. De quebra, foi avisando que "não existe chavismo sem Chávez, nem dissidentes, mas traidores".

Quando os venezuelanos rejeitaram em referendo, há um ano, a constituição bolivariana, que condenaria o país a um regime totalitário, chefiado por um ditador vitalício, Hugo Chávez anunciou publicamente que não voltaria a apresentar um projeto de emenda constitucional para se perpetuar no poder. E Chávez, como se sabe, é um homem de palavra. A nova emenda não será apresentada por ele, mas pela Assembléia Nacional, onde se contam nos dedos das mãos os deputados que se opõem a seus projetos ditatoriais. Se for levantada a inconstitucionalidade da proposta - pois a Constituição em vigor, aliás redigida por Chávez em 1999, proíbe a realização de referendo sobre matéria já derrotada, numa mesma legislatura -, o caso irá ao Tribunal Supremo de Justiça, composto também por fiéis seguidores do caudilho.

É mais que provável, portanto, que o novo projeto seja submetido a referendo no exíguo prazo determinado por Chávez. Sua pressa não se deve ao alegado desejo de não sustentar um debate sobre se é ou não tirano. O fato é que a popularidade do ditador continua alta, mas diminui rapidamente a possibilidade de impor sua vontade e seus projetos aos venezuelanos. Perdeu o referendo do ano passado, sofreu uma grave derrota nas eleições regionais de 23 de novembro e as oposições, antes fragmentadas, finalmente descobriram que a união é o único caminho para vencer o ditador.

Além disso, os venezuelanos estão se dando conta de que a retórica revolucionária de Chávez tem um custo elevadíssimo. Não falta dinheiro para financiar movimentos bolivarianos na Bolívia, Equador, Nicarágua e Cuba. Mas na Venezuela faltam bens de primeira necessidade, moradias e condições dignas de vida, pioradas por uma grave crise fiscal e uma inflação de mais de 30%.


Publicado no jornal "O Estado de S. Paulo" (Editorial Opinião).
Quinta-feira, 04 de dezembro de 2008.










Santa Catarina: Gastos, desastres, acidentes? NÃO!




As três faces de um canalha – Cel Paulo Carvalho Espíndola



3 comments:

FENIX said...

O país está bêbado

O pronunciamento do presidente da republica no lançamento do Fundo Setorial do Audiovisual, no Palácio Gustavo Capanema, no Rio, extrapolou, tanto no conteúdo como na apresentação, tudo o que há de respeitável e civilizado. Visivelmente alterado, com coloração vermelho-etílico, zombou descaradamente da sociedade, tão bêbada quanto, que lhe dá índices recordes de aprovação. Não há mais limites para a falta de vergonha na ostentação de tamanho despreparo, praticamente aceito e endossado pela maioria absoluta da confusa sociedade brasileira.

O comandante supremo das forças armadas se permite discursar oficialmente com termos utilizados em botecos da periferia, regados a muita cachaça de baixa qualidade, referência a um passado não muito distante. Desinibido e sem senso de ridículo ou censura, primeira característica do uso excessivo de álcool, adentra aos lares brasileiros com costumes de seu habitat natural. Sem freios de qualquer natureza, impõe sua vulgaridade até às crianças brasileiras que já passam a confundir os ensinamentos dos lares e das escolas, com os fatos da vida real.

Entre outras, são coisas como essas que invalida o voto direto, escolha livre da sociedade no regime democrático.

Ainda há quem se envergonhe do comportamento do primeiro mandatário do país, mas, a constante repetição está fazendo com que a sociedade aceite calada, nivelando-se por baixo, banalizando os inaceitáveis deslizes.

O pior é que ainda faltam dois anos para o pesadelo acabar sem contar a angustia da possibilidade de ser substituído por igual ou pior.

LIBERTAS QUAE SERA TAMEN

Anonymous said...

De que adiantam indignadas e justas manifestações como a sua, Bootlead, e do pessoal do Grupo Guararapes?
Essa corja segue "detonando", ano após ano, a Democracia, as instituições, a moral pública....
E os comandantes militares - a quem cabe responsabilidade histórica por agir nesta gravíssima decadência - seguem batendo continência "caprichada" para esse indivíduo...
Senhores, é preciso acordar para a terrível realidade:
O Brasil não existe, é uma ficção!
A democracia é uma farsa, vote em quem se votar o governo mundial continua mandando no Brasil e o explorando a seu bel-prazer.
As Forças Armadas foram devidamente controladas desde a queda de Silvio Frota.
A única esperança é surgir um Homem Militar corajoso, que levante sua espada e que seja apoiado por Homens Civis igualmente corajosos.
Situação terrível, tunel escuro, no fundo do qual não vislumbro luz nenhuma...
Estou espantado com seu otimismo, Bootlead, em achar que isso não vai durar muito.
Acho que não só vai durar muito, como vai piorar muito!
Me tranquilize, se puder...

Antonio said...

Art. 121 do Código Penal

Aqui no sul um belo domingo, longe das preocupações de crises a que parece o comércio não estar sentindo, salvo o de automóveis que anda um pouco retraído, mas também a ganância de empresário e a sede de arrecadar do governo transforma um veículo popular, com valor superior nos EE.UU a um Honda Civic com seguro total por um ano.

O Imperialismo socialista é escravagista mesmo, a ganância por dinheiro é tanta que fazem a população sentir-se ignorante com seus atos de crueldade e sarcásticos em arrecadar, e mal gastar ou desviar dos cofres públicos. Hoje não mais se fala em tecnocratas aqueles funcionários ajudavam na administração pública, hoje se fala em companheiros... E nisto tenho a certeza companheiro, é parceiro do demo.

E quem veio para: "Matar, roubar, e enganar" - é preceito bíblico, ora o próprio e antigamente era fantasiado com um par de chifres, os tempos são modernos o príncipe do mundo usa gravatas, camisas caras, ternos caríssimos, anda em jatinhos, apenas ainda bebe cachaça barata e de quando em quando abre a boca e fala um monte de asneiras... Quem nos dera pudéssemos sentir o cheiro de enxofre, mas não... Hoje o extrato que usa é francês, que lhe traí são as atitudes medíocres a que não consegue libertar-se, o uso da mentira, o roubo, e o assassinato.

Há varias maneiras de matar, logo o artigo 121 do Código penal deveria ser alterado, mal define como "Matar Alguém" - ora matar é tirar condições de vida com dignidade, matar é expor uma pessoa ao ridículo, matar é seduzir alguém a viver confinado na miséria debaixo de lonas pretas, matar é promover lavagem cerebral em troca de cestas básicas e bolsas famílias, cujo assistencialismo induz o homem à eterna miséria e a necessidade de esmolas, matar é abandonar as pessoas tal como se está fazendo em Santa Catarina.

Matar alguém? Vamos nós matar politicamente este partido decadente chamado de PT, cuja liderança enganosa a mídia dá percentagem mentirosa de aceitação popular. Ora matamos e enterramos esta farsa ou quem vai morrer de vergonha e miséria somos nós.

Eu não quero votar para presidente. - EU QUERO ESCOLHER O MELHOR PROJETO PARA O MEU PAÍS.

"Legislar é fácil, corrigir um país que desvia dinheiro, conduta, foco e bom senso parece cada vez mais impossível.” - Karen Paraná .

"Esta terra tem donos, não é propriedade do PT e comparsas de crimes, mas está em mãos de quadrilheiros".

"Brasil, ame-o ou deixe-o, mas nunca o ridicularize".

Share
 
Copyright © 2004-2016 Bootlead